segunda-feira, 30 de março de 2015

O TERRENO ESTÁ MINADO

Era uma vez uma terreno
que produzia pedregulhos
e tapumes antepostos
à luz da manhã,
que desabilitava o cidadão
a enxergar a linha do horizonte.
Era duro ver a aridez do terreno
povoado de homens subjugados
à ordem ditada pela baioneta;
sistema baseado na crença
de que determinado ponto de vista
deve prevalecer à revelia
de qualquer projeto aberto.

Era uma vez o retorno à racionalidade:
o estado entregue a homens sensatos;
entretanto, em um pequeno lapso temporal
aqueles homens perderam a vergonha
e partiram para a negociação das outorgas
adquiridas em nome do bem comum,
o qual se transformou em chancela
de espertalhões e maracutaieiros...

Parece que estamos num beco sem saída,
aliás, beco não tem saída  mesmo...
Parece  que deste terreno não saí nenhum coelho...
Ah, se o terreno produzisse caráter!


quinta-feira, 26 de março de 2015

PORTO ALEGRE, 243 ANOS.

Hora de juntar a voz ao coro
e cantar parabéns à aniversariante;
querida e venerada bicentenária...
A jovem filha de Açores atraída
pelo charme do velho Guaíba,
cresceu solene à beira do rio,
estendendo as mangas,
com o passar do tempo,
na direção dos morros.
Cidade sorriso, de braços abertos,
receptiva aos forasteiros,
não ficou parada no tempo,
mas não perdeu a graça
e ainda conserva em alguns bairros
aquele arzinho de província.
Caminhando, distraído, pelas ruas
do Centro Histórico e adjacências
ainda é possível haurir o som mágico
dos passos sonhadores de Mário Quintana.

terça-feira, 24 de março de 2015

TEORIA E AÇÃO

Um dos homens mais religiosos que conheci
era ateu, pelo menos ele imaginava sê-lo.
Quando indagado sobre a seita pessoal
respondia: estou em pecado, não sigo nada.
Quando um sectário juramentado convidava-lhe:
meu amigo, vamos visitar a  casa do senhor
recebia a resposta/pergunta automática:
pra quê!?
Seu João praticava a religião autônoma
sem altar, sem tribuna e sem templo,
consubstanciada através da atitude positiva;
ação solidária direcionada aos necessitados.
Seu João praticava o Religare inconscientemente:
 após a labuta diária de trabalhador assalariado,
assava pães, à noite, em sua residência. Depois
 varava as madrugadas pelas ruas dos bairros pobres
distribuindo os pãezinhos entre os famintos da cidade


sábado, 21 de março de 2015

VERÃO/OUTONO

O verão deu o ar da graça
no último dia de mandato.
Na hora de passar o bastão
ao mensageiro do tempo,
mandou ver calor às pampas
e a nova estação, circunspecta,
fez a abertura regendo Vivaldi.
Bom torcer para que este ano
o outono seja de fato outonal,
porque, via de regra, nos últimos tempos
tem havido uma salada de fruta climática.
Até parece que o patrono das estações
saiu em férias para outro planeta.

quarta-feira, 18 de março de 2015

O COSTUME É UMA SEGUNDA NATUREZA

Nós, humanos, possuímos um cabedal
de desculpas previamente elaboradas
para todas as situações cotidianas
pois raramente assumimos a responsabilidade
de nossas falhas, de nossas idiossincrasias
A pessoas física, o elemento jurídico,
o indivíduo público, o ser político
navegam nas águas da dissimulação
e da desconversação quando cobrados
os acordos firmados em cartório
O prefeito diz que a cidade está às traças
por causa da falta de recursos
O governador fala que o estado não funciona
porque as verbas necessárias estão em Brasília
O presidente da República atribui o galope inflacionário
ao grupo oposicionista que trava o sistema
A mídia vende a ideia de que os escândalos, os roubos públicos
os petrolões prosperam porque não possuímos lei fortes
Diremos em latim por vergonha de dar nomes aos bois:
"Consuetudo altera natura"

segunda-feira, 16 de março de 2015

OUTRA VEZ SEGUNDA-FEIRA

Eu não sei por quê
tanto mau humor estampado
nos rostos das criaturas
às segundas-feiras...
Eu, que até já perdi a conta
das vezes em que fui premiado
com um belo dia de segunda
não consigo compartilhar meu júbilo
com toda a gente à minha volta,
porque as almas ainda sofrem
com a velha síndrome de 2ª feira.

sexta-feira, 13 de março de 2015

POIS, ENTÃO...

Sabemos há tempos, tempos,
que a realidade é sombria,
de modo que não há necessidade
de preencher a telinha da tv
através de uma  pretensa arte
consubstanciada em expedientes
eivados de violência, safadeza,
crimes, vícios de toda a ordem;
em síntese, o lado sórdido da criatura,
 entretanto, me dizem que essa coisa
que o sistema chama de arte,
é nada mais que um espelho real
e que não é legal deixar a sujeira
escondida debaixo do tapete,
porém, penso, que há Arte e arte
e além disso, não percebo algo edificante
nessas histórias contadas em capítulos
sob molde padronizado linearmente,
eis o pão fabricado na antiga Roma
e servido com vinho no circo...

terça-feira, 10 de março de 2015

SOMOS PRODUTOS DAQUILO QUE ENGENDRAMOS

A árvore doente por certo
não produzirá bons frutos
assim como a escola ruim.
não formará bons alunos...

Fala-se a toda a hora
sobre a falta de virtude
do político brasileiro,
pelo contrário, elucida-se
a propensão ao vício
e à faculdade corruptiva
como marca registrada
deste segmento específico...

Críticos exaltados exigem
a deposição da camarilha
e a substituição imediata
dos hospedeiros de plantão
pelos suplentes da hora...

Os cargos políticos e públicos
 são preeenchidos por homens
nascidos e formados aqui;
são produtos do caldo de cultura,
da fermentação de princípios inerentes
à surrada Lei de Gerson...

Mas, então, não existe solução
para o descalabro reinante?
Existe! Basta querer! Querer de verdade
Não adiantará criar novas leis, nem prisões
nem pena de morte, nem execução sumária,
nem seitas, filosofias, tratados, religiões...
A solução é individual; está no coração do homem.
Todos nós conseguimos diferenciar o bem do mal,
portanto a questão é tomada de consciência!
Quando o Homem estiver curado, tudo mudará,
mas enquanto a sociedade continuar doente,
não produzirá cidadãos saudáveis...





sexta-feira, 6 de março de 2015

TRABALHO E TRABALHO

São mesmo interessantes os atributos
característicos das  profissões do mundo
Alguns se equivalem à sacerdócios
concernente ao grau de exigência específica
necessária à investidura exitosa do abnegado
servidor das labutas essenciais e prioritárias,
acopladas à engrenagem funcional urbana.
Já por outro lado, também existem aqueles labores
preenchidos por artistas de áreas diversas
inerentes ao entretenimento das criaturas,
ocupados por cineastas, atores, atrizes, atletas;
estandartes do lazer, cultura e esportes.
Existem ainda aquelas tarefas especiais
em que os investidos privilegiados, as executam
dosando o trabalho em viagens pelo mundo.

quarta-feira, 4 de março de 2015

CONCEITOS

Vejo todo o dia  uma gama de gente insatisfeita
 com a embalagem adquirida nesta existência
como se tudo no mundo perdesse o sentido
quando ausente um corpo perfeito.
Boa aparência é o sonho de consumo
de gregos, troianos e terceiros,
mas os inquietos buscam na farmácia,
na academia, no  bisturi e nos insumos
a fórmula mágica da beleza,
porque ainda não percebem
que beleza e estética são conceitos;
nada mais que conceitos!

segunda-feira, 2 de março de 2015

MATREIRICE

A memória navegando nas lacunas pretéritas
retrocedendo nas areias do tempo-espaço,
vasculhando o bau esquecido no sótão memorial
recupero episódios que me escandalizaram
na época  em que eu assimilava os códigos
que deveriam nortear a vida na norma moral.
Lembro-me da notícia lida no Correio do Povo
lá pelo ano de mil novecentos e sessenta e três:
Tio casa com a sobrinha apesar dos protestos
da família, da igreja, e da comunidade...
Pois então...
Pois não é que expedientes reprováveis
ganharam autonomia dentro do esquemão
chamado jeitinho brasileiro.
Aquele casamento entre tio e sobrinha, nos anos sessenta,
ocorreu em face do instinto animal,
entretanto, hoje acontecem casamentos do tipo
custodiado por homens idosos, solteiros, aposentados
com sobrinhas, empregadas, geralmente, jovens
com o fito de deixar as meninas aposentadas
pelo resto de suas vidas...
Eis o matreirismo tirando partido nas brechas da lei!