sexta-feira, 31 de outubro de 2014

A FEIRA

Crescemos praticamente
juntos, mas não lembro
da tua vinda ao mundo,
por que naquela época
eu tinha três anos.
Foi amor à primeira vista,
tenho certeza, e a minha paixão
continua irremovível.
Acho que nada nesta vida
fará romper os elos
que me ligam a tua existência.
Diferentemente de mim,
que já sinto na epiderme
a gravidade do tempo
tu continuas jovem,
jovem e moderna,
dinâmica e atemporal...
Lembro com saudade
e emoção dos teus aniversários,
sobretudo das datas retas.
Ah, os teus 20, 30, 40, 50 anos...
Entretanto, todos os anos
estou sempre presente, quando
tu reapareces na praça
encantadora e juvenil;
 jovem sexagenária,
 Feira do Livro
de Porto Alegre.


terça-feira, 28 de outubro de 2014

VOCÊ NÃO DEVE PENSAR





Em resposta à pergunta do discípulo,
 porque filosofia foi retirada
da grade curricular do ensino,
o mestre disse que não sabia.

O aluno repetiu a pergunta
ao diretor do seu colégio,
o qual disse que não lembrava
do motivo da exclusão da matéria.

O menino  inquieto foi ao gabinete
do secretário de educação do estado
onde lhe disseram que seria melhor
parar de fazer aquelas perguntas.

Como se fosse o personagem central
de "O Processo", obra genial de Kafka;
o moleque percorreu os labirintos de Brasília,
elos entre o nada e coisa nenhuma.

Por fim o ministro da educação
derramou um balde de gelo sobre o rebelde:
Menino, os curiosos morrem mais cedo.
Mas vocês são o futuro do país,
portanto não se preocupem em demasia
com as teorias filosóficas, nós pensaremos por todos.
Além de  tudo, filosofia funde a cuca.
Hajam vistas os pensadores que tiveram finais trágicos
ou morreram doidos.
Senão vejamos Sócrates, Dionísio, Nieztsche, Sartre...



sábado, 25 de outubro de 2014

FOSSEM AUTÊNTICOS NÃO SERIAM POLÍTICOS.

Na hora de nomear
o futuro condutor
do destino do país
 o eleitor deve levar em conta
aquilo que não foi dito.

Porque os dois candidatos
legislando em causa própria
ufanam-se de excelsas virtudes.
Neste mundo imperfeito
a perfeição deles assusta.

As ofertas dos candidatos
vencedores  nos últimos pleitos
se perderam através do vento;
agora fazem parte do compêndio
 dos compromissos não cumpridos.
Mas como se fosse miragem
hoje ninguém fala no assunto.

Lembro-me do comercial
do candidato da legenda,
vencedora há alguns anos,
mostrando gente morrendo
na filas de espera do SUS
e pessoas sucumbindo nas ruas
sob a violência desnecessária.
O locutor com voz tronitroante
vociferava ao vento:
gente, isso é coisa do passado,
porque no nosso governo
isto será resolvido!
Entretanto, tudo continuou como dantes
dentro do quartel de Abrantes!

Em síntese, os candidatos sabem
que importante é convencer,
através do marketing recheado
de intrigas e pirotecnia,
mas quando empossados
farão de conta que nunca disseram
aquilo que prometeram.
Eles sabem que ao final e ao cabo
todos esquecem do discurso.







quinta-feira, 23 de outubro de 2014

VOCÊ LIVRE COM A CORDA NO PESCOÇO

Nossa democracia relativa
obriga, democraticamente,
todo cidadão votar!
Digo, exige que todo o vivente
dentro de determinada faixa etária,
vá ao local previamente estabelecido,
no dia destinado à colheita da assinatura
no livro de registro do evento
e declare seu veredito,
sob pena de transgressão punida com multa pecuniária.

A democracia diz que o indivíduo é livre,
mas acho estranha nossa liberdade acorrentada.
Pelo menos neste quesito a democracia americana
fez jus ao bom senso, ao tornar o voto facultativo.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

PREGOEIROS

Por vezes penso,
que os adesistas,
quero dizer os artistas,
enfim, gente famosa;
cabos eleitorais assumidos
dos candidatos urnicos
imaginam que nós, eleitores,
estamos na idade mental
das crianças de creche,
pois de ambos os lados
dos nossos concorrentes
estão a incitar:
vote neste por isso,
vote naquele por aquilo.
Parece que essa gente quer caçar
o direito do indivíduo fazer
a opção segundo sua consciência.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

AH, SE CHOVESSE POR TODA A PARTE!

Curto, com um pouco de remorso,
o segundo dia consecutivo de chuva,
enquanto a senhora previsão anuncia
mais dois dias hiper molhados.

Teremos sábado e domingo
para ficarmos dentro de casa
curtindo um naco de ócio,
 visitando os blogs amigos.

Sábado e domingo de chuva;
convite para pôr em dia
a leitura daqueles livros
que há tempos estão na fila.

Mas o prazer de que vos falo
machuca um pouco por dentro.
Aqui chove bastante, mas é triste
ver o sofrimento dos nossos irmãos paulistas.

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

AOS MEUS MESTRES COM CARINHO

Neste dia consagrado ao mestre
dirijo o pensamento à primeira professora.
Lembro-me que há mais de cinquenta anos
a vi pela vez derradeira.

Não sei se ela ainda vive
nem porventura o lugar onde mora,
mas de repente na minha lembrança
ouço sua voz na sala de aula.

Acho que ainda não era paixão
aquilo que sentia naquele tempo,
entretanto não existem palavras
para descrever aquele deslumbramento.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

SEU DOUTOR, O QUE EU FAÇO?

Doutor, acho que o meu filho
não anda bem da bola.
Passa o tempo ouvindo Beethovem.
Já não quer saber de Funk.

Meu diretor, estou preocupada
com a saúde  do meu filho.
Quase não mexe no celular
Fica lendo horas e horas.

No começo achei que fosse apenas
atitude de rebeldia sem causa.
Entretanto a onda não passa
e eis aqui uma mãe desesperada.

Eu já estava quase assimilando
a mania de leitura do meu herdeiro,
entretanto, de repente, entornou o caldo,
agora ele anda lendo compêndios de  filosofia.





quarta-feira, 8 de outubro de 2014

AH, SE FOSSE VERDADE!

Eu queria escrever um poema
que relatasse as temperaturas amenas
salpicadas de brisa outubrina,
beijando meu rosto no fim da tarde.

Eu queria colocar no papel
loas ao nosso sistema educacional,
elogiando os bons serviços
prestados à juventude,
futura timoeneira
do destino verde-amarelo.

Eu queria exaltar a sensibilidade
dos homens públicos  deste país,
abnegados condutores da bandeira
da equanimidade, mola-mestra do bem comum.

Eu queria escrever um poema elegíaco
sobre nossos programas televisivos,
receptáculos instrutivos e formadores
da capacidade reflexiva do telespectante.

Eu sonhava com um poema decantando
os versos das correntes musicais de agora
criações de nível aceitável, tais quais
as que gente cresceu ouvindo no passado.

Queria dizer tanta coisa,
que preencheria  vários poemas,
mas de repente, a voz da consciência
ficou tocando nos meus ouvidos:
mente pouco, mente menos;
 faze o poema sobre a brisa de outubro
beijando o rosto das pessoas...


sábado, 4 de outubro de 2014

GREVE

Hoje, no fim da tarde
fiquei admirado e apreensivo
porque pelas esquinas que passava
havia policiais de campana.

Inclusive  nos parques
vi  muitos seguranças
reunidos em torno das árvores
como se vigiassem um inimigo imaginário.

A gente que há tanto tempo
não via os operários da lei
a postos em locais estratégicos
ficamos pensado: há loucura no ar.

A noite cai sobre a cidade
e com ela as informações,
que estão deixando a urbe alvoroçada,
dizem que há uma greve geral de eleitores.

Fala-se que as autoridades estão
em estado geral de alerta:
ninguém pode sair da cidade
E a ordem da última hora:
se os eleitores não forem às urnas
os votos serão colhidos à domicílio
ou em qualquer lugar em que eles se encontrem.

Há um grande alarido pelas ruas.
Apesar dos desmentidos o clima é tenso
Políticos, candidatos, intrometidos
vociferam a todo o instante junto à mídia:
se esses calhordas pensam que vão nos enganar,
muito enganados eles estão!

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

VEM PRA URNA

Faça um político feliz
elegendo-o a um mandato.
Não te escondas atrás
do voto branco,  do voto nulo.
Não faças essas coisas feias,
tu não és nenhum covarde.

É a única coisa que ainda te deixam fazer de graça,
por que então não aproveitar a oportunidade.
Portanto, arregaça as mangas, corre pra urna
e vote contente, vote de olhos fechados...

Esqueça a miséria a tua volta
isso não vai acabar mesmo,
Tu és um só e os problemas são tantos...
O candidato não é um inimigo.
Ele quer apenas se dar bem,
ganhar bônus, usufruir das mordomias,
se esbaldar nas maracutaias...