segunda-feira, 24 de junho de 2013

SEGUNDA-FEIRA

Dizem que foi sugerido
pelo padroeiro daqueles
menos afeitos ao trabalho
que oficializassem segunda-feira
Dia Nacional da Preguiça.

Os menos afoitos às lides trabalhosas
não me queira mal
por esta brincadeira irônica,
que eu faço para aliviar
o ar soturno desta manhã de segunda-feira.

Quem sabe este chiste
sirva de combustível
para conversa jogada fora
em meio aos cafés bebidos
pelos botequins da cidade...

quarta-feira, 19 de junho de 2013

DAQUI A 30 ANOS...

O discípulo pediu para o mestre analisar
os fatos do tempo presente
O aluno queria entender os eventos
que aconteciam naquele momento.

O mestre apontou a dificuldade
de dissertar em cima das ocorrências.
Sugeriu a necessidade de um tempo
para fugir da influência dos fatos em foco.

O mestre disse: a história difere
de uma equação matemática
pela variedade de incógnitas
entrelaçadas às questões
a ser analisadas pelo especialista
isento em relação ao resultado.

Entre outras coisas,
o mestre ainda disse:
os políticos, a imprensa e os apaixonados
são maus analistas,
porque à luz dos interesses,
arrastam a roda da história
sob o ponto de vista compatível
à venda dos próprios peixes.

Decorridos trinta anos, o discípulo
foi ter novamente com o mestre:
sábio, hoje distante dos fatos,
gostaria que o Senhor dissecasse
os acontecimentos do passado,
que me angustiavam tanto
- Meu pupilo, em outra época eu faria
uma analise crítica segundo minha consciência,
mas agora estou convicto de que é difícil
falar com segurança sobre temas
associados às frágeis paixões humanas.




sexta-feira, 14 de junho de 2013

RETORNO À BARBÁRIE

Meus amigos me chamam de ranzinza
quando digo que ainda estamos
engatinhando no processo civilizatório,
que apesar de toda a parafernália
desenvolvida no campo das comunicações
é necessário assimilarmos as regras básicas
de convivência urbana,
haja vista, por exemplo
a esbórnia verificada nos últimos dias
em algumas capitais do país,
em virtude do protesto contra
as tarifas dos transportes coletivos.
Sou favorável ao protesto pacífico,
natural nos regimes democráticos,
entretanto, os eventos das últimas horas
desviou do padrão aceitável
Os propalados direitos questionados pela turba
foram exigidos através de ferramentas retrógradas,
mais condizentes com a barbárie.
Precisamos aprender,
precisamos evoluir,
precisamos crescer...


terça-feira, 11 de junho de 2013

CRONICA ESPORTIVA

Vendo a nossa seleção
jogar contra a França,
aqui no Arena Soccer,
no último domingo,
percebi que nos reencontramos
com algumas coisas pretéritas.
Primeiro ponto positivo
foi a recepção calorosa
para Luis Felipe Scolari.
Num país onde, via de regra,
os treinadores são execrados,
foi bonito ver Felipão
ovacionado com carinho.
Depois o jogo. Ah, o jogo..
não ia bem, mas de repente
achamos aquele gol!
Gol, o orgasmo do futebol
segundo os locutores esportivos.
Acho que até os indiferentes ao futebol
vibram quando acontece o gol.
Depois o jogo melhorou para nós.
Vieram mais gols.
Eu disse no início
que havíamos reencontrado
algumas coisas do passado,
mas na verdade, nos reencontramos
com a alegria de vencer,
entretanto ainda estamos distantes
da nossa marca registrada:
aquele balet mágico,
que já encantou o mundo!

sexta-feira, 7 de junho de 2013

DA CANETA-TINTEIRO AO iBABEL

Por boa parte da minha vida
me comuniquei com o mundo
através dos serviços do correio,
quando a carta escrita a mão
era a ferramenta mais utilizada.
Com o advento da internet,
as cartas impressas ficaram de lado,
porque o e-mail virou moda,
mas logo o e-mail foi substituído
pelo orkut, my space, msn, twitter...
que foram trocados pelos facebook, instagram,
wakoopa, ibabel...
que logo serão atropelados pelos...

terça-feira, 4 de junho de 2013

TRALHAS

Quando substituímos
a maquina de datilografar
pelo microcomputador da IBM,
pensamos conosco:
o futuro chegou.
Esta ferramenta, certamente,
vai longe;
só necessita de alguns retoques.
Entretanto, aquele aparelho maravilhoso
foi engolido pelo tempo.
Naquela altura,
a gente não imaginava
que viriam os celulares,
os notbooks, os smartphones,
os ipods, os megapods...
Se um espião interplanetário
houvesse descido aqui,
para avaliar nossos passos,
quando Steves Jobs e Bil Gates
frequentavam os bancos escolares,
hoje diria : os terráqueos andaram bastante.
Pena que a moral humana
não evoluiu qualitativamente
na proporção do avanço tecnológico!