domingo, 29 de abril de 2012

ARROZ E FEIJÃO

Nós, brasileiros,
comemos, há séculos
arroz e feijão.

Este prato suculento
veio a calhar
ao nosso bolso
e com o nosso paladar.

Comida do povo
diz a elite,
torcendo o nariz,
degustando caviar.

Médicos e nutricionistas
sempre afirmaram
que arroz e feijão
mais o complemento
de algumas folhas
e uma que outra fruta
compõem a dieta perfeita
de qualquer organismo sadio.

Mas, eis que agora,
um cientista da nutrição
veio a público dizer
que arroz e feijão engorda.

Enquanto isso,
os povos famintos do mundo
deliram, febris, implorando
aos céus
por uma colherada de arroz
e feijão...


sexta-feira, 27 de abril de 2012

INSPIRAÇÃO

Quando a inspiração
saiu de férias
eu pensei que seria
um jogo rápido...

Mas à medida que
a ausência se prolonga
meu coração se agita
diante da espera.

Agora, tenho consciência do meu disparate
quando reclamei de  forma grosseira,
dizendo, olha pra mim, inspiração:
não vês  que espero há tanto tempo
tuas pinceladas nos meus poemas?

Deusas, musas, amores,
vos peço perdão publicamente
e ao mesmo tempo prometo
aceitar com resignação
o período de reciclagem,
contanto que não me abandonem.


quarta-feira, 25 de abril de 2012

ESCREVER

Quem escreve exorciza-se,
faz análise através do fio condutor
da palavra.
Quem escreve cura-se,
quero dizer, analgezissa-se.
Quem escreve despe-se
da pele que resseca
e do esteriótipo que oprime.

Quem escreve doura a pílula,
abre a janela da rua
e bebe com sofreguidão
os primeiros raios de sol,
 enamora-se das estrelas
no meio da tarde.

Quem escreve evita
que a água do copo
transborde.
Quem escreve expulsa
 os fantasmas do  sótão.
Quem escreve caminha
no meio da chuva
e dança os  passos
da sinfonia do vento.

domingo, 22 de abril de 2012

O HOMEM QUE PLANTAVA ÁRVORES

Hoje, dia mundial da terra, estou postando
esta singela homenagem a um homem
simples, de um coração enorme, que transformou
sua vida numa lição a ser reproduzida por qualquer
homem, em qualquer parte do mundo, que seja capaz
de transformar desapego pessoal e abnegação em prol
 da sobrevivência da nossa mãe Terra.


Nos bons tempos
da velha Rádio Guaíba
ouvi no programa "Até depois de 2001"
comandado pelo saudoso
Flávio Alcaraz Gomes
uma bela história de amor

Estávamos nos anos sessenta,
eu tinha uns quinze anos
e naquele primeiro momento
pensei que o relato fosse apenas
uma criação ficcional.

Mais tarde, quando soube
que aquela história
era um fato vivo da realidade,
minha admiração por Elzéard Benfier
foi às alturas.

No início século xx
numa região desértica da França,
um pastor de ovelhas, simples e pobre,
depois de perder  filho e esposa
começou a plantar árvores
e por mais de trinta anos
plantou carvalhos, bétulas e faias
sem ganhar um centavo por isso.
O desejo daquele homem de poucas palavras
e de vontade férrea
era ver a terra seca rejuvenescer,
 os riachos mortos brotarem
e os animais que viviam ali
antes da desertificação voltarem
Enquanto a Europa foi palco
de duas guerras mundiais
o cidadão Elzéard Benfier,
 distante das picuínhas humanas,
plantava seu testemunho de paz.

Em 1947, aos 87 anos,
Elzéard Benfier morria em paz
porque milhares de árvores
plantadas por suas mãos
produziram uma bela floresta,
atravessada por riachos
e habitada por animais desaparecidos
desde que a vegetação sumira.

terça-feira, 17 de abril de 2012

EU TENHO MEDO

Domingo de outono,
céu nublado,
aspecto soturno;
somente o vento
perambula pelas ruas
e a população inteira
trancada dentro de casa.

As praças tão vazias agora,
diferentes daquele tempo
em que as pessoas não sabiam do medo,
e as distrações domingueiras foram
para o beleléu
porque em tempo de guerra civil
todo o cuidado é pouco.

Os raros automóveis
que deslisam pelas avenidas
com os vidros fumês fechados
estão voltando para os bunkeres
dos seus proprietários,
e o passeio dos cães foi postergado
porque os policiais que cuidam do parque
entraram em greve por tempo indeterminado.


sábado, 14 de abril de 2012

HOMEM DE BEM

Quantas vezes nesta vida
ouvimos dizer que o homem de bem
é aquele que galga a fama,
que sobe a escada do sucesso.
Quantas vezes imaginamos
que o homem de bem
é aquele exitoso nos negócios,
vitorioso na política.
Quantas vezes afirmamos
que o homem de bem
é aquele propalado na mídia
e divulgado nas colunas sociais...

Não diremos, necessariamente, o contrário,
porém, muitas vezes, o homem de bem
passa quase desapercebido,
porque geralmente o homem de bem
age sem alarde,
trabalha no anonimato,
atua em silêncio
doando parte do seu tempo
em favor dos necessitados,
minimizando, na medida do possível,
 a dor daquele que sofre,
pois o homem de bem
não espera recompensa
nem busca retribuição.
O homem de bem opera desse modo,
por que sabe dos seus limites
e de suas fraquezas,
mas sabe também
que os ajustes necessários
acontecerão somente
através da prática do bem.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

A PRESSA

Outro dia uma criança
deixou-me confusa
quando perguntou-me,
tio, quem inventou a pressa?
E como eu fiquei parado, pensando, pensando,
sem dizer nada,
ela repetiu a pergunta:
Senhor, quem inventou a pressa?
Eu, nervoso pela insistência do menino,
falei por falar,
acho que foi Deus, pois ele criou tudo o que existe.
Mas o moleque, de pronto, rebateu-me:
Ele criou todas as coisas necessárias!
Meio atordoado diante do discernimento do pequeno,
agi pela norma dos adultos acuados
e inverti a ordem do diálogo,
e passei, eu, a fazer as perguntas:
Menino, tu não achas que a pressa é necessária
ao bom andamento das coisas?
- Tio, todo mundo sabe que não!
- Por que, eu quis saber.
- Ele disse: a pressa provoca morte no trânsito,
desentendimento nas famílias,
retira a possibilidade dos pais ficarem
mais tempo junto dos filhos;
além disso parece que pressa vicia,
pois vejo muita gente sem nada para fazer,
sempre correndo, com muita pressa...

segunda-feira, 9 de abril de 2012

CADÊ AQUELE MENINO?

No início era apenas suspeita,
porém hoje tenho certeza
de que o meu espelho envelheceu,
pois já faz muito tempo
que ele deixou de mostrar-me
o rosto que conheci.

A caixa acústica do mundo
também sofreu alterações
ou criou aversão por mim.
Parece que que ela tem preferência
pelos ouvidos mais jovens.

A ótica, então!
Há várias décadas
ela procura esconder-me
a beleza da paisagem.
Menos mal que existem as lentes,
e assim, minha relação
com o mundo visível
vai bem, obrigado!

quinta-feira, 5 de abril de 2012

NADISMO

Eu gostaria de saber dos céticos
que não acreditam no princípio inteligente,
criador de todas as coisas,
uma explicação lógica
para a criação da vida.

Já estou cansado de ouvir
que tudo aconteceu por acaso.
Os defensores dessa teoria atestam
que o nada é o princípio gerador do universo

Então, o nada dormia e eis que de repente
explodiu como uma bolha...
mas não parou por ai,
continuou criando mares, montanhas,
oxigênio, arbustos, dinossauros, homens...

Ai eu fico pensando: se antes
havia o nada, e antes do nada
o que havia então?

Aceitando a premissa do princípio nadificador
concluiremos que o princípio nadificante
evoluiu espontânea e espetacularmente
produzindo Jesus, Leonardo da Vinci,
Alan Kardec, Oscar Niemayer...
e o telefone, o radio, a internet...