quinta-feira, 31 de março de 2011

31 DE MARÇO DE 1964

Aniversário tem bolo
música, flores, velinhas...
O aniversário de hoje, não.

aniversário tem alegria,
gente contente,
boas recordações...
O aniversário de hoje, não.

Aniversário é a confirmação
de uma data específa,
que comemoramos
revivendo a felicidade pregressa
inerente a um evento especial,
guardado para sempre
na nossa memória.

Mas o aniversário de hoje,
queremos apagar da nossa lembrança:
31 de março de 1964.

segunda-feira, 28 de março de 2011

MENSAGEM PARA GARCIA

Um dirigente do alto
escalão da república
levou um envelope
ao Congresso Nacional
para ser entregue a Garcia.

O líder do Congresso
repassou a missiva
para o líder da Câmara
e este tripassou cópias
para os gabinetes dos ministérios.

Passado um mês,
milhares de pessoas
procuravam Garcia
pelo país inteiro.

O tempo passava,
mas ninguém encontrava
o homem.

Garcia irritou-se
com tanta demora
e foi atrás da mensagem.

Os portadores das cópias,
um a um, foram encontrados por Garcia,
mas eles haviam perdido
as mensagens pelo caminho.

Restava um emissário zeloso
que guardara a mensagem
em lugar seguro,
mas ao encontrar Garcia
não conseguiu entregar o documento,
porque, emocionado,
morreu de parada cardíaca.

sexta-feira, 25 de março de 2011

EUA

O presidente dos Estados Unidos da América
em visita ao nosso país,
na semana passada,
não economizou elogios ao Brasil:
falou da beleza da cidade do Rio de Janeiro,
falou da nossa alegria e da nossa arte,
falou da posição do Brasil na grade
da economia mundial.
Afirmou que o Brasil deixou de ser
um país do futuro,
porque já é um país do presente.

Após digerirmos o efeito do discurso do visitante,
questionemo-nos, o que o moço americano
veio nos vender?

Leonel de Moura Brizola,
de saudosa memória, afirmava:
"O papel de guardiões da democracia,
exercido à revelia pelos americanos
no tabuleiro da polítida internacional,
consiste na manipulação de interésses escusos"
Ele falava assim mesmo, interésse com o "e" aberto, lembram?
Brizola dizia, que a nação imperialista do Norte
cria subterfúgios propícios à infiltração dissimulada
nas economias periféricas para agir com a liberdade
da raposa dentro do galinheiro.

Voltando ao filho do Tio Sam,
perguntemos, será que vamos continuar
comprando o peixe deles?

Hoje, a balança comercial entre Brasil e Estados Unidos
é totalmente favorável aos gringos.
Nossos produtos são absurdamente taxados no solo americano,
mas em descompensação, compramos todas as bugigangas deles
sem nenhum tipo de agio.

Como devemos-nos posicionar
diante das invasões americanas
a paises de regimes autoritários?
O direito de derrubar um sistema
de governo perverso e prejudicial
a um povo não seria da autonomia
do próprio povo prejudicado?
Quando os americanos interveem na Líbia,
estarão eles consternados
com a sorte dos libaneses
ou preocupados com as usinas petrolíferas,
ou seja, agindo em prol dos seus interésses?

terça-feira, 22 de março de 2011

CATÁSTROFES

Parece que de quando em quando
desastres ecológicos acontecem
para ratificar
a fragilidade humana.

A aparente estabilidade
do planeta terra
é realmente aparente.

As grande transformações
ocorridas neste mundo
aconteceram em intervalos
enormes de tempo
Então, nós os sabiamos
pela tradição.

Porém, nos nossos dias
o planeta parece nervoso,
pois se manifesta através
de instabilidades localizadas:
torós, cheias, enchentes,
furacões, maremotos, tsunamis...

O intelectual mineiro Oto Lara Resende afirmava:
o ser humano só é magnânimo no sofrimento.
Partindo dessa premissa, quem sabe se
as catástrofes sirvam para tocar o coração do homem
e através de um mutirão engajado
abra-se a janela da consciência solidária.

quarta-feira, 16 de março de 2011

POESIA

Nós, poetas, tantas vezes,
nos arvoramos
em escritores da poesia.

Nós, poetas, tantas vezes,
levamos nossa arte
ao encontro do aplauso.

Nós, poetas, tantas vezes,
ficamos desapontados
porque nos foi negado o pedestal.

Nós, poetas, nos nossos momentos de soberba,
esquecemos que somos apenas
o instrumento condutor do verso
porque a poesia preexiste em si mesma

quinta-feira, 10 de março de 2011

O RECADO DO TEMPO

Chega um determinado dia
em que recebemos o oráculo
da pitonisa ampulheta:
já não tens todo o tempo do mundo!

É quando nos deparamos
diante da encruzilhada do tempo;
uma possibilidade de reflexão, talvez,
uma oportunidade de optar, quem sabe:
deixar que a vida nos arraste
pelas curvas cansadas do caminho
ou tocá-la na medida das nossas forças.

sexta-feira, 4 de março de 2011

MASSA CRÍTICA

http://www.youtube.com/watch?v=ZARjUMaOfyQ




No dia 25 de fevereiro,
Porto Alegre foi palco
de um incidente estúpido,
cujas imagens repercurtiram
na aldeia global.

Aqui nasceu um grupo
chamado Massa Crítica,
usuario da bicicleta,
que além do uso corriqueiro
como ferramenta de esporte e lazer
também agrega ao utensílio
a possibilidade de meio transporte não poluente.

Os adpetos do movimento se reunem
na última sexta-feira do mês,
pedalando pelas ruas da cidade.
O evento traz o significado simbólico
de um grito libertário:
uma bike a mais, um carro a menos nas ruas.
Essa forma tranquila de protesto
é uma maneira de reivindicar
à administração pública
a construção de ciclovias na cidade.

Então, no fim da tarde do dia 25
o grupo pedalava pela rua Luiz Afonso
no bairro Cidade Baixa,
e eis que o condutor sinistro
do automóvel preto
acelera o veículo sobre os bicicleteiros
fere quinze pessoas
e foge do local.

terça-feira, 1 de março de 2011

MOACIR SCLYAR

A comunidade judáica
do bairro Bomfim está triste
Porto Alegre está triste
O brasil está triste
Nós, leitores do Moacir Sclyar,
estamos tristes.

Minha memória retrocede
lá para o início da década de setenta
quando "Guerra do Bomfim"
e "O Exército de Um Homem Só"
foram editados e ficaram
por muito tempo na lista
dos mais vendido da revista Veja.
Aquilo foi apenas o começo
da carreira de um grande escritor.

Sclyar foi o escritor da regularidade
em quantidade e qualidade.
Difícil escolher a "obra"
entre mais de setenta...
Eu, modesto leitor, elejo
"O Mês dos Cães Danados"
minha leitura preferida,
um livro alegórico e poético.

Sclyar, jeito simples,
dócil, sempre afável;
comportamento característico
dos espíritos elevados.
Doutor Moacir Sclyar,
médico e escritor, cumpriu bem,
certamente, sua tarefa neste mundo,
trabalhou na medida das suas forças
conforme prega a palavra.