segunda-feira, 16 de outubro de 2017

A ESCÓRIA EXISTE, MAS NÃO SOMOS A ESCÓRIA

Em determinados momentos,
cheguei a conjecturar, que
a escória do mundo
está aqui.

Tal acontece, sobretudo, quando
me falam, quando leio
sobre a patifaria
reinante.

Porém,  é um erro pensar assim.
Por certo, há que se separar
as batatas podres
das sadias.

Tal qual um blasfemo incontido
já falei mal deste país,
dizendo: a saída
é o aeroporto.

Apesar do dito e do pensado
o aventado não procede,
porque estamos sobre
um solo  sagrado.

Brasil,  dos bons brasileiros,
não tens culpa
se uma minoria vagabunda
enxovalha teu corpo.






quinta-feira, 12 de outubro de 2017

CRIAÇÕES MENTAIS

Sabe, aquelas pessoas
repetindo a toda a hora,
que vieram a este mundo
para sublimar o sofrimento
Dizem: na loteria do mundo
ficamos com o restolho podre,
estamos condenados à cruz
até o fim da existência.

Ficam lançando negativos
no  etéreo,  regularmente,
através de pensamentos,
de palavras e de atitudes
e essas coisas  geradas
 um dia serão vividas
mesmo que o gestor não queira,
porque toda a criação no astral
será,  com certeza, manifestada.

terça-feira, 10 de outubro de 2017

A PASSEIO OU A TRABALHO

Não soube o que dizer
quando me perguntaram
se agora, nesta existência,
eu viera  a passeio
ou viera a trabalho.

Durante anos, a pergunta
adormecia e acordava
e eu me abstraia, pensando
e nada concluía.

E você, caro amigo,
cara amiga, sabe
porque
está
aqui?

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

PARECE MENTIRA

Espantei-me com um indivíduo
que jogava pedras nos cães
e tocava água nos gatos
porque estes bichos latiam
e miavam a toda a hora
como se latir e miar
não fosse da natureza
destes animais.

Mas algo mais intrigante
ainda estava por vir:
a queixa de uma senhora
contra o canto dos pássaros
que a acordava pelas manhãs.

Peço a Deus para não encontrar
gente que reclame das crianças
a brincar, distraídas de si mesmas;
do aroma das flores na primavera
e dos sorrisos que houverem no mundo.

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

O VENTO

Como se fosse possível
o vento surgir do nada,
ir arrastando as coisas
que estão  no caminho,
como se não houvesse
um elemento gerador
de fenômenos assim,
condutores do medo...

Aconteceu ontem
ao adentrar da noite,
um turbilhão de gases
varrendo a atmosfera,
arremessando a poeira,
sacudindo tudo em volta,
rasgando troncos de  árvores
e nós mudos e impotentes...

O deus-bicho-homem
inventor da bomba H
e de outros brinquedos
venenosos e mortíferos,
que se pensa a cereja
do bolo da criação,
e até pode muita coisa,
mas ajoelha-se à natureza...













quinta-feira, 28 de setembro de 2017

AS PESSOAS SÃO AS PESSOAS, DIZIAM OS MUTANTES LÁ NOS ANOS SESSENTA

Conheci um cara que praticava a pesca
nas águas onde moravam ariscos peixes
Mas a pescaria era apenas um exercício
para aquele ser saborear outros deleites

Certa feita, falou-me que aquele mister
lhe proporcionava a paz da meditação
esperando os peixes  que não vinham
fazia do não agir  sua  linha  de  ação.

Até pensei comigo, esse cara é doido
ou então quer induzir-me à demência,
mas depois deletei a tese  raciocinada:
emendei-me a tempo, é dele a sentença.

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

A POESIA AINDA VIVE

Ainda que me digam
que já  não há  lugar
 para a poesia,
não creio nisso.
Se pensasse desta forma
este blog teria outro nome.

Mesmo fazendo parte
de  um mundo sistematizado,
pontuado pelos contatos virtuais
ainda celebro os abraços tácteis
e os eventuais dedos de prosa;
coisas velhas de outro tempo.

.